O município de Botucatu passa a fazer parte do Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec). O credenciamento provisório foi assinado em 3 de setembro pelo secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, em cerimônia realizada no campus Lageado da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu. O Parque Tecnológico será implantado na Rodovia Gastão Dal Farra, em duas áreas que somam 286 mil m² – equivalentes a 34,6 campos de futebol iguais ao do Maracanã. O empreendimento terá como objetivo principal promover o desenvolvimento socioeconômico sustentável da região, por meio do fomento à inovação tecnológica em bioprocessos – procedimento tecnológico que utiliza sistemas biológicos, componentes e derivados de organismos vivos – para produção de medicamentos, insumos médico-hospitalares, compostos para fins industriais, fitoterápicos (produtos feitos com plantas medicinais), sistemas de produção agropecuários sustentáveis, produtos orgânicos, biorremediação (uso de microorganismos para recuperação de áreas contaminadas), controle biológico, serviços ambientais, caracterização e uso de resíduos. “Com o credenciamento provisório, o Parque Tecnológico já começa a se estruturar para receber empresas interessadas em investir em Botucatu, o que irá estimular a inovação tecnológica, o crescimento econômico da região e a geração de emprego e renda para a população”, afirmou o secretário de Desenvolvimento. “As empresas que vierem se instalar vão aproveitar a qualidade intelectual que existe na cidade para desenvolver produtos inovadores com maior valor agregado”, ressaltou o prefeito de Botucatu, João Cury Neto. Parque Tecnológico – As áreas ficam a 3 km da Rodovia João Hipólyto Martins (SP-209) – que liga a via Castelo Branco a Botucatu. Os locais estão estrategicamente posicionados nas proximidades da Faculdade de Tecnologia (Fatec), do aeroporto municipal, da Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), do Centro de Treinamento da Prefeitura e da Estância Demétria. Dentro do plano, está previsto um condomínio industrial para empresas de base tecnológica, além de auditório, praça de alimentação, laboratórios, estacionamentos, biblioteca, incubadora de empresas, e centros de ensino, pesquisa, e difusão. Potencialidades – Botucatu possui um forte potencial na área de ciência e pesquisa biológica, pois conta com cinco unidades da Unesp: Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), Hospital das Clínicas de Botucatu, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) e Instituto de Biociências (IB), além de uma Escola Técnica (Etec) e uma Fatec do Centro Paula Souza. Para trabalhar em parceria com o novo empreendimento, a iniciativa privada da região dispõe de uma liderança tecnológica expressiva em seus segmentos de atuação, com a concentração de micro, pequenas, médias e grandes empresas, como Embraer-Neiva, Eucatex, Duratex, Caio Induscar e Grupo Centroflora. A cidade também conta com uma incubadora de base tecnológica, que, desde 1997, já atendeu 52 empreendimentos. Atualmente, nove estão recebendo apoio como empresas residentes, seis como associadas e quatro como projetos pré-residentes. A incubadora já graduou 28 empresas que, juntas, geram aproximadamente 300 empregos diretos. Em 2005, a incubadora de Botucatu recebeu o “Prêmio Incubadora do Ano”, e é considerada o melhor Programa de Incubação de Empreendimentos Inovadores Orientados para o Desenvolvimento Local e Setorial do País, pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec). (Fonte: Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo)