#retrospectiva2018

Aconteceu no dia 19 de setembro, no auditório da TOTVS em São Paulo, o Comitê de Fomento. Os coordenadores do tema Luis Cláudio Frade e Rosely Silva, junto com a Diretora Madrinha Isabela Dias, abriram a reunião pedindo para que todos os 50 presentes se apresentassem.

O tema central de discussão foi a Chamada GlobalStars: Edital Eureka, que possibilita a Cooperação Tecnológica especificamente com os seguintes países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, França, Holanda e Suíça por meio de suas Agências de Fomento. Denise Neddermeyer, financiadora da EMBRAPII, apresentou as particularidades do programa pela instituição, assim como um panorama geral dos modelos de financiamento oferecidos e as tecnologias habilitadoras, como IoT, Eletromobilidade, Manufatura Avançada, Petróleo e Gás, Higiene e Cosméticos, Indústria de Papel e Celulose, Telecom e Dispositivos médicos e odontológicos.

Em seguida, foi a vez do Alexandre Barragat, gerente substituto de Cooperação Internacional da FINEP, apresentar as formas de participação das instituições do Edital Eureka através da instituição. Antes, o gerente esclareceu os motivos que tornam a cooperação internacional relevante, como melhorar a competitividade, buscar um padrão de excelência em Pesquisa Científica e Tecnológica, enfrentar desafios globais e criar ou reforçar boas e estáveis relações diplomáticas.

Sérgio Queiroz, Coordenador Adjunto de Pesquisa para Inovação da FAPESP, continuou a reunião apresentando o Programa PIPE, Pesquisa Inovativa na Pequena Empresa, e também as diretrizes particulares da instituição para o mesmo Edital Eureka. Sérgio, ao final, abriu para perguntas, e os representantes das três instituições se disponibilizaram a saná-las juntos, cada um com a sua particularidade.

Continuando as apresentações, Ariane Oliveira, Analista de Planejamento na Embraer, explicou o cenário competitivo da indústria aeronáutica, que conta com um desenvolvimento tecnológico de prazo bem maior que a maior parte das outras indústrias. Assim, a Analista introduziu a Inovação na Embraer, que segundo a profissional, possui a inovação em seu DNA. Ariane terminou falando do relacionamento da empresa com startups, que tem o objetivo de buscar soluções tecnológicas para problemas organizacionais com aplicação no curto prazo.

Para encerrar as apresentações, Isabela Dias apresentou a TOTVS e sua agenda de inovação, reforçando a importância do trabalho institucional para alavancar a inovação como um todo. A Diretora da ANPEI reiterou a necessidade do ecossistema potencializar a sua associação, a fim de dispor força em suas pautas e construir uma política de base, para que o Brasil seja não apenas um consumidor de tecnologia, mas também um importante produtor. Por fim, os coordenadores do Comitê encerraram a reunião abrindo para uma dinâmica em que o grupo pode trocar e conversar entre si, reforçando o networking.