16/08/2018

Na tarde do dia 16 de agosto, aconteceu na Conferência de Inovação 2018, o primeiro Fórum da Mulher Empreendedora. O painel reuniu quatro mulheres que contaram suas trajetórias no empreendedorismo e como puderam realizar inovações nos setores em que atuam.

O painel foi mediado por Luciana Hashiba, Membro da WeFab e Professora na FGV, que assumiu hoje a coordenação do comitê técnico da Conferência de Inovação 2019, substituindo o atual coordenador, Luiz Frade.

A primeira a se apresentar foi Camila Cruz, Diretora de P&D e Head Women Leadership na 3M Brasil e Diretora da ANPEI. Desde 2011, a 3M vem realizando ações com objetivo de aumentar a diversidade dentro da companhia. Ao falar sobre diversidade, a empresa inclui tanto gênero, como etnia, classe social, pessoas com deficiência, orientação sexual, entre outros marcadores de diferença.

Ao investir em dinâmicas que promovem a diversidade e aceitam as diferenças, a empresa busca criar um ambiente de inclusão onde as pessoas se sintam mais seguras, mais engajadas e mais confiantes para criar. Uma empresa mais diversa favorece a inovação e competitividade.

A inclusão não diz respeito somente ao aumento no número de mulheres atuantes nas empresas ou em cargos de liderança. É preciso avançar na desconstrução de barreiras que garantam a permanência e acolhimento destas mulheres como integrantes da equipe.

Muitos desses obstáculos ainda estão definidos sob estereótipos do papel feminino nas organizações, como enumerou Camila Cruz:

Duplo vínculo
Se a mulher é boa profissional não é legal. Se é legal não é boa profissional.

Dupla jornada
Necessidade de conciliar vida profissional e pessoal em jornadas exaustivas de trabalho.

Estilo de liderança
Quanto mais masculina melhor. A melhor precisa parecer um homem para ser competente.

Autopromoção
Perspectiva coletiva x individual. Mulheres falam nós, homens falam eu.

Patrocínio
Quando alcançam ascensão profissional, as mulheres são acusadas de receber favoritismo de colegas e chefes homens sob o pretexto de outros interesses

Falta de modelos
Torna-se um desafio mirar carreiras de sucesso quando são poucas ou inexistentes as referências de outras mulheres que também tenham chegado lá.

Ela destacou ainda a importância de incentivar que mais mulheres ocupem as carreiras de C&T como medida de incentivo para a inovação empresarial. Pesquisa realizada pela 3M constatou que elas ainda estão mais concentradas em áreas de educação e ciências da vida www.3m.com/scienceindex.

Diana Jungmann, CEO da 14Bisness, focou em sua trajetória pessoal e assim demonstrou que no percurso da empreendora também está a mulher, a mãe, a acadêmica. Em uma apresentação bastante positiva, ela reforça que arriscar é imperativo para a inovação. A trajetória de Diana apresenta o desafio da maioria das mulheres: conciliar família, estudos, carreira e vida pessoal, uma jornada múltipla para alcançar seus objetivos. “Voltei do doutorado com mais dois filhos, a minha filha que nasceu na Inglaterra e a minha invenção”, disse Diana.

A terceira empreendedora a se pronunciar, Jeane Tsutsui, Diretora Executiva de Negócios da marca Fleury Medicina e Saúde, enxerga na mulher um potencial de liderança por considerar que elas enfatizam a colaboração e tem mais flexibilidade para conciliar diversos papeis. Sua carreira profissional foi marcada pela mudança, de médica cardiologista para o papel de executiva em uma grande companhia do setor de saúde.

O fórum se encerrou com a fala de Vanessa Martins, Administradora e Sócia da Torigoe – Oficina Automotiva Sustentável. Nutricionista por formação, Vanessa viu em uma situação de crise a oportunidade de empreender e fazer algo novo. Depois que a oficina do marido foi impedida de continuar funcionando, ela precisou recomeçar o negócio do zero em condições precárias de trabalho. Mas com isso criou uma nova marca, com foco em boas práticas de sustentabilidade, incluindo não só o aspecto ambiental, mas também socioeconômica. O resultado de seu esforço tem sido o reconhecido por grandes veículos de mídia especializada e grandes companhias como Petrobras e Bosch, com as quais já realizou parcerias em campanhas.

A realização desse fórum insere a Anpei em uma discussão que repercute no mundo do todo e que tem colocado em evidência o protagonismo das mulheres nos mais diversos setores produtivos, mas que ainda preserva grandes desafios para que se alcance igualdade de gênero.