O Grupo Indústria Startup começou os trabalhos do ano na Arena Santander, localizada na USP. Marcela Flores, Gerente Executiva da ANPEI e Rogério Rabelo, Head de Inovação na Nexa Resources, mediaram a reunião, que contou com a participação da Duratex, Whirlpool, Natura, Cristália, Clarke Modet, Braskem, entre outras.

Foi apresentado ao grupo o novo Vice-Líder do GT, Alexandre Mosquim, que acabou de ingressar na Vale com o desafio de criar a plataforma fluida global de Open Innovation na empresa.

Jorge Pacheco, CEO do State, iniciou as apresentações expondo a proposta e conceito do espaço. Sendo uma revitalização de um antigo galpão industrial no Bairro Vila Leopoldina, o projeto é pautado no triângulo inovação, ativos e pessoas, visando atrair grandes e médias empresas, startups, empreendedores, cientistas, makers e artistas em um só lugar. A proposta é fomentar o ecossistema de inovação da cidade através de um coworking que reúna todos os atores, visando além da produtividade, a capacitação de pessoas. O State, que traz um conceito de arte para o ambiente de trabalho, será inaugurado em maio.

Lanna Dioum, Analista de Produtividade e Inovação da ABDI, apresentou os trabalhos mais atuais da agência em relação à promover a articulação e produtividade de diversos setores. O desafio é compreender e se familiarizar com o novo ambiente de inovação proporcionado pelo boom das startups, um movimento irreversível. Esse novo cenário emprega novas formas de trabalhar, novos valores, novos conhecimentos e também novos recursos.

Assim, Lanna explica que é imprescindível uma reestruturação no mindset para que se possa interagir com o novo ambiente, em que o foco principal é a experiência do cliente. A ABDI, sendo uma agência governamental, passou a estudar o universo das startups, e através de uma reformulação de conceitos, criou o Programa Nacional Conexão Startup Indústria. Disso, foi lançado o Edital Indústria Startup 4.0, que visa facilitar a colaboração entre as duas partes. Em sua primeira edição selecionou 10 indústrias, que por sua vez selecionaram 27 startups, que procuraram resolver problemas, diminuir custos, aumentar a produtividade, criar novos produtos e modelos de negócios, entre outros. Além dos resultados bem sucedidos, as startups que foram para a fase de projeto piloto foram premiadas e posteriormente foram gerados contratos de negócios associados em mais de 6 milhões.

O projeto é visto como uma das iniciativas que podem mudar o Brasil, por ser o maior programa de conexão entre startups e indústrias do governo brasileiro. A sua segunda edição está com o edital aberto para startups, e dessa vez selecionará 30 indústrias e 120 startups. Inscreva-se aqui até dia 31 de março;

 

Acesse: https://startupindustria.com.br/