28/09/2017

No último dia 21 de setembro, o Comitê de Gestão da Inovação da Anpei realizou uma reunião aberta para todos os interessados em debater sobre o tema “Normalização & Criatividade – Como se relacionam e se complementam”. Com participações de representantes da 3M, da Camaleoni e da ABNT, o evento contemplou uma grande mesa redonda entre os convidados e o público presente, que interagiu com perguntas, opiniões e exposição de experiências.

Liderado pelo coordenador do Comitê de Gestão da Inovação da Anpei, Rafael Pellicciotta – que também é Gerente Executivo de Engenharia e Inovação da Elekeiroz – e pelo vice coordenador, Jaime Frenkel, Gerente do Elo Group, o encontro teve início com uma apresentação do novo curso da Associação, o Innovation Architect, que acontecerá em novembro e em dezembro aos sábados.

Trata-se de um curso de formação e certificação em gestão da inovação que tem como público alvo profissionais que já tenham experiência no tema e que estejam em busca de acelerar suas carreiras dentro desta área. O Innovation Architect é um desdobramento do Anpei Exchange – programa de compartilhamento de conhecimento em gestão da inovação da Anpei, que surgiu a partir da atuação desse Comitê. Clique aqui e saiba mais!

Criatividade e Inovação

Na primeira etapa da reunião, Fabiano Leoni, criador de experiências da Camaleoni, apresentou cases de empresas que utilizaram uma maneira diferente e criativa para ter sucesso e, consequentemente, lucrar mais.

De acordo com Fabiano, a Camaleoni trabalha com três pilares: imersão, truque e espetáculo. “Na primeira etapa, mergulhamos no conteúdo estratégico que servirá de base para a experiência, e entendemos o público que será encantado. Em seguida, usamos diferentes ferramentas e metodologias em prol do desafio. E, por fim, a entrega garante aspectos que formam uma experiência completa, por meio de conexões emocionais. Tudo isto é feito através do uso de metodologia estruturada para tratar os três pilares e criar condições para que a criatividade se desenvolva”.

Em suma, o criador de experiências trabalha com criação de design de serviços a partir de customer experience, ou seja, da experiência do consumidor.

Em um de seus exemplos, Fabiano contou aos participantes que uma empresa de telemarketing alcançou a meta de aumentar suas vendas em 80% com atendentes felizes e satisfeitos. “Todos os negócios são pessoas. Nada do que a gente faz não passa por pessoas. Existem desejos e anseios. E temos que prestar atenção nisso”.

Questionado pelo público sobre como manter essa animação dos funcionários, o empreendedor afirmou que também há um treinamento para os líderes com o objetivo de criar um conjunto de hábitos e práticas reais para que o discurso não seja dissociado da prática.

Normalização e Inovação

José Augusto Pinto de Abreu, coordenador da Comissão de Estudo Especial (CEE-130) da Associação Brasileira de Normas e Técnicas (ABNT), ressaltou em sua apresentação que as normas são eficazes para promover a competição e a comunicação entre agentes econômicos, possibilitar a avaliação do desempenho em bases comparáveis, balancear as necessidades do mercado com o interesse público e facilitar o acesso da inovação ao mercado.

Para isso, de acordo com Abreu, é recomendável o uso dos Sistemas de Gestão, que asseguram que determinado resultado pretendido e planejado seja consistente e sistematicamente alcançado. Trata-se de um sistema para estabelecer políticas e atingir objetivos.

“Há uma necessidade de inovação sistemática. As normas de Sistemas de Gestão podem ser aplicadas por qualquer organização, grande ou pequena, independentemente do setor, produto ou serviço”, disse Abreu, ressaltando os benefícios da normalização dos Sistemas de Gestão. “Além de usarmos os recursos de maneira mais eficiente, e de termos uma gestão de risco mais aprimorada, também percebemos uma maior satisfação do cliente, pela entrega de produtos no prazo e fornecidos de acordo com o permitido”.

Normalização e Criatividade na 3M

Após as duas apresentações, uma mais voltada para a criatividade e a outra para a normalização, Camila Cruz, diretora de P&D da 3M, falou como a empresa consegue mesclar esses dois quesitos para inovar.

“Para criarmos soluções, nos baseamos em insights, plataformas tecnológicas e na cultura colaborativa. Com os insights, tentamos entender o mercado. Quais são as megatendências? Para onde os meus clientes estão indo? Esse momento permite mais criatividade”, explicou Camila.

De acordo com a diretora, as tecnologias alavancadas pela 3M são de materiais, processamento, capacidades e aplicações. “Elas são combinadas de forma criativa e única”.

Já quanto a cultura colaborativa da 3M, Camila afirmou que a empresa prioriza o ambiente de criatividade e empreendedorismo, incentivando a liberdade, a diversidade, a tolerância, a colaboração e o reconhecimento entre os colaboradores.

Durante o debate que sucedeu as apresentações, os três convidados ressaltaram a importância de se ter um processo documentado com metas, objetivos e expectativas, além da importância dos colaboradores participarem do processo criativo da empresa.

Confira as datas das próximas reuniões do Comitê de Gestão da Inovação e participe.

 

Comitê Gestão da Inovação setembro (6)

Fabiano Leoni, criador de experiências da Camaleoni

 

 

Comitê Gestão da Inovação setembro (10)

José Augusto Pinto de Abreu, coordenador da Comissão de Estudo Especial da ABNT

Comitê Gestão da Inovação setembro (12)

Camila Cruz, diretora de P&D da 3M