#retrospectiva2018

No dia 23 de outubro aconteceu mais uma reunião conjunta de Propriedade Intelectual, porém com o Grupo de Trabalho Indústria Startup. O tema central do encontro foi Propriedade Intelectual no relacionamento Empresas e Startups, com foco em grande empresa, startup, instituto de pesquisa e aceleradora.

Os coordenadores Eneida Berbare e Leandro Mandu deram boas vindas ao grupo de 50 pessoas. Rogério Rabelo, coordenador do GT Indústria Startup, contextualizou atividades e metas do GT.

As apresentações tiveram início com Guilherme Selber, Gerente de Inovação da Samsung Electronics, que falou sobre o instituto de pesquisa da grande empresa, Ocean Brasil. O centro busca o desenvolvimento de soluções tecnológicas, e fomenta um programa de apoio à startups, que visa a aceleração dessas soluções. Guilherme ainda apresentou qual o futuro traçado pela Samsung em questão de apoio e soluções tecnológicas.

Logo após, Thays Bueno, Key Account Manager na ACE Aceleratech, explicou a necessidade de investir em inovação para sobrevivência mercadológica, já tendências viram realidades numa velocidade exponencial. Para isso, a Gerente apresentou as tendências tecnológicas atuais, como IoT, AI, robótica, nanotecnologia e genética, e quais as principais mudanças de tecnologia. Frisando a necessidade de trabalhar com e como startup, Thays defendeu que é necessário atuar em duas frentes: sustentação e disrupção, a fim de ajustar o design organizacional e alcançar um posto avançado de inovação, destacando o papel chave da aceleradora nesse processo.  

Seguidamente, foi a vez de Marcos Medeiros, Community Manager na Abstartups, apresentar o ponto de vista startup.  O gerente também focou na velocidade com que as coisas estão mudando, defendendo a necessidade das empresas inovarem, mas sem o dever de fazerem isso sozinhas ou “dentro de casa”. Marcos exemplificou o ecossistema que a ABStartups representa: empresas, investidores, governo, incubadoras, academia, aceleradoras, academia e imprensa, e necessidade de conectar todas essas entidades, através do Pitch Corporate.

Na sequência foi a fez do Rogério Rabelo, Innovation Coordinator na Votorantim Metais e coordenador do GT Indústria Startup, falar sobre tecnologia e inovação na mineração, através da iniciativa Nexa Resources. O coordenador explicou que foi adotado um modelo de inovação aberta, em que um intercâmbio de conhecimento entre universidades, centros de pesquisa, startups e empresas permitiu alavancar o processo. Rogério falou também sobre inovações transformacionais e incrementais, e a necessidade de focar em pessoas.

Por fim, a reunião foi aberta para esclarecimentos e debates, possibilitando a troca de conhecimento entre os presentes.